domingo, março 29, 2009

Depoimento verdade: Tenho fobia social

Sou tímido. E tenho fobia social. Mas ao contrário de Luis Fernando Veríssimo, um tímido assumido e com notoriedade, como o escritor reconhece em entrevistas e em um texto publicado em 1995, tentei durante anos vencer a timidez. O investimento no esforço de corrigir a "falha de estrutura da personalidade" reflete o impulso natural diante da sociedade que cultua o mito do homem como ser social. Iniciei terapias umas três vezes. Achando que não estava sendo ouvido e sem dar conta de dizer que estava pouco satisfeito com o processo de análise, dei o calote em todos na última mensalidade, antes de abandonar o tratamento -- não dar conta de dizer é um comportamento típico de um fóbico social.

Humanos com fobia social demonstram intensa ansiedade em situações de convívio com outros seres da mesma espécie. Segundo os especialistas, os temores, capazes de se transformar em pânico e visível no suor destilado por alguns dos fóbicos sociais, geram os surtos, em diferentes intensidades. As dificuldades transparecem em em situações específicas, em especial onde há, conscientemente ou não, o "perigo" da avaliação de outras pessoas. 

Como bem assinalou Luis Fernando Veríssimo, o tímido é, na realidade, um narcisista enrustido, pois sente que todos prestam atenção nele. Se alguém realmente reparasse nos fóbicos sociais, como eles sempre acham que ocorre, iria perceber o olhar de inveja quando, na festa, chega o colega de trabalho e sai distribuindo simpatia e extroversão. 

Eu, particularmente, confesso uma envergonhada inveja das pessoas que chegam em uma festa, evento ou mesmo no trabalho e distribuem abraços e beijinhos. Na vida de um fóbido social, até mesmo uma corriqueira reunião vira um suplício. Alguns sofrem antecipadamente com a dúvida sobre como proceder ao chegar: as mulheres devem ser cumprimentadas com o aperto de mãos ou com beijinhos? Um ou dois beijos. Um beijo e abraço no pescoço ou no rosto? Quem define as iniciativas?


13 comentários:

Anônimo disse...

oi! estou achando que eu tenho fobia social ja nao sei mais oq faço ja pensei até em morrer do nada quando preciso falar em publico ou chegar em algum lugar comeso a ficar vermelha muito vermelha mesmo já me isolei muito tenho 22anos e estou vivendo assim vou procurar uma psicologa pode ser que adiante o meu pior sintoma é ficar vermelha os outros posso esconder mas nao tem como esconder o meu vermelhao estou desesperada!!! obrigada

Anônimo disse...

Eu sofro de fobia social desde os meus 13anos vou completar 20 amanhã e vinha vida sempre foi difícil devido a fobia,já fiquei noites sem dormir de tanta ansiedade perdi inúmeras oportunidade em todas as áreas da minha vida um sofrimento constante que chegou a acarreta em depressão algo horrível um pesadelo que parece não ter fim,passado essa face de depressa estou tentando seguir em frete mais não é fácil só quem tem fobia social sabe do que estou falando,sai se casa e encara as pessoas que parecem estar sempre te julgando e aquela sensação de que algo vai dar errado eu demorei pra tomar uma atitude não cometa meu erro pois acaso dia que se passa esse medo cria força em silêncio e quando se percebi esta enorme e isso se alguém tiver um android e o aplicativo zello eu criei coragem e crie a sala Fobia.social pra trocar experiência é sempre bom falar com quem te compreende sem uma olhada no aplicativo é gratuito obrigado pela atenção.

PAMELLA C.da rosa disse...

infelizmente essa doença nao escolhe pessoas,acho que tambem tenho esse mesmo problema,larguei a escola,tentei trabalhar varias vezes mas pelo fato do patrao ver que fico nervosa,acabo nao ficando muito tempo.muito legal esse gesto seu de debater sobre esse assunto.realmente como vc disse só quem passa por esse problema é quem sabe.mais essas doenças fazem parte da imperfeiçao,mais em breve deus promete que essas coisas serao coisas do passado leia REVELAÇAO(APOCALIPSE-21;4)

PAMELLA disse...

DESEJO MELHORAS PARA TODOS QUE SOFREM DESSE MAL.EH CORAGEM!!!!!!!!!!

Lara Freitas disse...

gente esse site fala sobre uma menina de 12 anos que sofre de fobia social vale a pena conferir:

http://www.diariodeumasociofobica.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

esses dias passei por um neurologista e recebi o diagnóstico de ansiedade generalizada, acho que todo fóbico social sofre de ansiedade claro, mas acho que deixei de dar dados q ele diagnosticasse minha fobia social, li que a ansiedade generalizada tbm causa a fobia social, e a medicação deve ser a mesma, ansiolíticos, ele me receitou o venlaxin, eu estava tomando o citalopran, ja tem tempo que tomo antidepressivos e já passei por vários. Estou aqui na madruga procurando por depoimentos que possam esclarecer melhor minhas dúvidas e me ajudar a me compreender melhor. Acredito que pelo fato de, não por maldade nenhuma, mas minha mãe ter sempre me corrigido muito qnd pequena, maneira de sentar, de comer, de falar, etc. fui me tornando ao longo do tempo meio mecanica e passo o tempo todo me observando qnt a essas coisas, qnd estou falando com alguém tento imaginar a cara que fiz, como foi, que reação eu esbocei, se fiquei feia ou bonita, se tem um fio de cabelo fora do lugar, se falei alguma bobeira, esses tipos de pensamentos são frequentes, não quando estou diante de pessoas conhecidas mas com estranhos. Nem todo estranho me causa esse desconforto tbm, tem pessoas que já de cara me sinto mais segura, que passam uma certa confiança, mas tem situações em que fico vermelha, não consigo falar nada, minha cabeça de repente parece que fica vazia, minha visão fica embaçada, se falo começo a gaguejar, e ai fica pior, ai pra disfarçar começo a dar umas risadinhas sem graça e sempre tem um idiota pra dizer: você só dá risada, não fala nada. Nossa, essa frase pra mim é a pior... é como dizer, você é retardada? ai começo a apertar minhas mãos com tanta força que chegam a doer, e quanto mais nervosa fico, mais eu aperto... isso é horrível, chego em casa acabada, me sentindo atropelada por um caminhão. Bem, espero que esse tratamento com a venlafaxina traga melhores resultados, sem antidepressivos me sinto muito pior, mas acho q já ando usando-os como muletas, não consigo ficar sem, ai que a insegurança bate.

Anônimo disse...

é um inferno ter fobia social a cada situação em que exige que você se exponha é um desconforto extremo,você não consegue comer em publico, fazer algo em que seja observado até mesmo caminha onde tantas pessoas estão em volta com paranoia na cabeça de que elas estão observando seu caminhado.

Derli G.Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

É muito dificil conviver com essa fobia, não conseguir fazer amigos parecem que estão sempre te analisando e com um olhar de inferiotidade, me sinto humilhada, desde meus 12 anos tenho esse sintomas, mas só agora descobrir que é uma doença, saber que muitos tbm tem o msm problema me ajudou q querer superar.

Beh DS disse...

Eu também tenho fobia social, é horrivel, tenho 20 anos e já sofri muito com esse mal e até desenvolvi sindrome do panico :(
Eu fiz um blog para contar minha história com a fobia social, se alguém quiser visitar é esse aqui http://diaadiacomfobia.blogspot.com.br la eu vou contar o dia a dia com fobia social e todas as experiencias que eu já passei. obg, FORÇA A TODOS . Deus abençoe!

Anônimo disse...

Eu também sofro com a fobia social,não aguento mais isso,desde os 12 agr já tenho 17,porém só descobri esse ano,quando eu descobri fiquei "feliz" por saber q oq eu tenho,tem nome,é uma doença mental,tem cura também reza a lenda,acho q a maioria das pessoas q sofrem com essa fobia já tiveram depressão,pq isso acaba com a vida da pessoa,me sinto retardada e o resto do mundo concorda.

Eduardo disse...

Nossa! É como se eu estivesse lendo sobre mim! A mais antiga crise que eu me lembro foi aos 12 anos também, quando um tio me pediu para comprar doces e eu simplesmente comecei a gaguejar em frente ao vendedor; eu só tinha que dizer: quero 5 daqueles ali. Hoje tenho 17 e compreendi que sou Fóbico Social. Eu fiz a "descoberta" a dois dias atrás, quando encontrei uma garota no coletivo que havia estudado comigo. Quando avistei ela por cima da catraca do ônibus eu senti como se eu entrasse em transe, e a vontade de pedir para o motorista parar o ônibus era muito forte porque sabia o que ia acontecer, ela iria vir falar comigo e as chances de eu dizer algo estúpido no meio de todas aquelas pessoas eram iminentes... Eu posso até não ter feito nada idiota, mas sei que todos ali notaram a forma como eu me comportei naqueles três minutos que pareceram três anos, não olhei para o rosto dela nem uma vez e gaguejei tantas vezes que nem lembro. Nessas horas duas coisas acontecem de forma impiedosa: eu começo a sentir como se eu fosse um telespectador vendo tudo de fora (e achando a minha performance risível) e sinto minhas pregas vocais emperrando e especular a mais simples palavra sem gaguejar se torna um desafio. Mas a pior parte vem depois, quando tudo passa: em casa começo a lembrar de todos os detalhes, cumprimentos físicos frustrados, despedidas mecânicas e o conhecimento de que eu falhei mais uma vez em lidar com um simples reencontro onde eu só deveria sorrir e dizer "oi, como vão as coisas?".

Larissa Rodrigues disse...

Ola venho fazer esse comentário em forma de motivação com a intenção de poder ajudar quem sofre desse mal , hoje posso dizer que superei :D
Desde pequena era uma menina muifo timida e queta , sem amigos na escola , poucos amigos na rua ..me sentia uma árvore enraizada entre as pessoas, ninguem me notava . Mas mesmo assim ia levando a vida , era triste porem o jeito era continuar indo em frente , nunca pratiquei esportes por vergonha das pessoas ficarem me reparando , me relacionei com poucoa meninos na adolescência e os que eu conhecia ja me apaixonava ..me sentia muito solitaria. Apos o final do ensino medio foi um alivio sempre tive vontade de fazer um curso superior , tentei começar duas faculdades mas me sentia muito pra baixo em me ver sozinha e terminei..fiquei um ano em casa parada , sem estudar , sem trabalhar , apenas dormindoe alimentando um amor platonico que piorava mais a minha vida . Assim entrei em depressão parecia que tudo estava pior ..sentia vontade de morrer , achava que nunca faria falta e que nao tinha motivos para persistir na vida , me sentia um alien nesse mundo , depois de um tempo ouvi falar sofre a depressão fiz alguns testes na internet e o resultado foi positivo , fi alguns testes de fobia social e o resultado foi positivo. .procurei a minha mae e disse que achava que tinha fobia social e depressao todos os sintomas se encaixavam , procurei o posto de saude e passei com um clinico..so de falar da minha situação dava vontade de chorar ainda mais perto da minha mãe, ele me encaminhou para uma psicologa demorou muito tempo pra conseguir a vaga , e nesse tempo consegui participar de uma pesquisa na USP sobre fobia social e elas me ajudariam com tratamento , realmente estava muito focada em melhorar , mas antes de começar o tratamento na USP consegui a vaga para psicologa na minha cidade , apenas participei da pesquisa mas nao utilizei do tratamento , minha psicologa me indicou para uma psiquiatra que me passou alguns remedios , Sertralina, esse remedio mudou minha vida ..com o tratamento e a terapia hoje apos 1 ano estou melhor ...faço faculdade , trabalho , faço academia , me amo muito , nao importo no que os outros pensam de mim , converso e brinco com todos , so em algumas situações que ainda preciso melhorar como ter a iniciativa de falar em público e saber lidar com meua pais , tirando isso ta tudo perfeito .. esse era meu sonho !
Quem quiser conversar um pouco meu email é larissarodrigues.stz@hotmail.com